Notícia publicada e cedida pelo Blog da Cagece

Apoio que vem da Cagece

Na linha do tempo dos anos 90, o Ceará tem um antes e depois na história do saneamento básico. O final da década mencionada marca o início do cuidado e atenção do estado para com as áreas rurais. O triunfo da época se deu com a criação da Gerência de Saneamento Rural (Gesar), cujo protagonismo foi fundamental na elaboração de um modelo de saneamento e de gestão rural para o estado.

Composta por uma coordenação de obras e de gestão, a Gesar tem hoje como atribuição acompanhar e monitorar a implantação de sistemas de abastecimento e esgotamento sanitário na zona rural do estado. Além disso, ela também promove a realização de debates e elaboração de propostas relativas ao modelo de gestão para o saneamento rural.

Ao longo dos anos, por meio do trabalho desenvolvido na consolidação do modelo de Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar), a gerência colocou a Cagece num patamar de empresa pública de maior expertise em saneamento rural do Brasil. “A Gesar é hoje uma massa crítica onde profissionais atuam em prol do saneamento rural no Ceará e que influência não só o estado, mas o Brasil e a América Latina. É uma gerência que transpassa a Cagece e o estado”, afirma Hélder Cortez, primeiro gerente a comandar a Gesar e que atualmente é diretor de Unidades de Negócio da Cagece no interior.

Por meio da Gesar e da parceria com outros órgãos do estado, o Ceará conta hoje com programas específicos voltados para áreas rurais, financiados pelo banco alemão KFW e pelo banco Mundial. Ambos com objetivo de implantação de sistemas de abastecimento e esgotamento sanitário e fortalecimento do Sisar no estado.

Somente em 2019, a Gesar auxiliou na filiação de 115 comunidades, beneficiando cerca de 64.700 mil habitantes, levando água tratada de qualidade para o homem do campo por meio do Sisar. De acordo com Cortez, o estado do Ceará possui uma população rural na casa de 2,1 milhões de habitantes. Cerca de 700 mil deles já são atendidos pelos oito Sisars distribuídos pelo estado. O número equivale a uma cobertura de 33% do território rural do estado.

Para Otaciana Ribeiro, atual gerente da Gesar, o maior desafio da gerência é a universalização do atendimento com abastecimento de água. “O Ceará tem uma área rural enorme e a gente precisa avançar muito. A cada dois meses um grupo de saneamento rural se reúne, na secretaria das Cidades,  para sincronizar ideias e elaborar estratégias para melhor aproveitar os recursos existentes”, destaca.

Desafios de 2020